Notícias

15/10/2012

Diretor de Futebol esclarece situação entre Cruzeiro e o meia Alex




Da Toca II

Diogo Finelli

O Diretor de Futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, concedeu entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, na Toca da Raposa II, para esclarecer a situação envolvendo o meia Alex. O jogador, que rescindiu recentemente seu contrato com o Fenerbahçe, da Turquia, desembarcou no Brasil no último sábado, em Curitiba, onde reside a sua família. Alexandre Mattos contou, em ordem cronológica, todos os contatos que manteve com Alex desde o mês de março, quando assumiu a Diretoria de Futebol da Raposa, na tentativa de contar com o meia ainda neste ano, para a disputa do Campeonato Brasileiro.

Confira, na íntegra, o que disse o Diretor Alexandre Mattos da negociação com o meia Alex, até a resposta final do jogador:

“Vou tentar ser bastante claro para falar de um assunto tão delicado, por tudo aquilo que o Alex representa para o Cruzeiro Esporte Clube. O Alex, desde quando a Diretoria atual assumiu, já era um desejo do Presidente, Dr. Gilvan, o retorno do Alex, e isso já foi dito publicamente por todos, inclusive pelo próprio Presidente, que não iria medir nenhum tipo de esforço para repatriar o Alex, seja qual fosse o momento. Eu cheguei ao Cruzeiro em março, e uma das minhas primeiras ações no Clube foi entrar em contato com o Alex e, documentalmente falando, no dia 22 de março eu fiz o primeiro contato oficial com o Alex, tentei de todas as maneiras ver uma possibilidade real de ele vir para o Cruzeiro no meio do ano. Naquele momento, o Alex se posicionou e disse que não romperia seu contrato com o Fenerbahçe, por nenhum motivo, que iria até 2013. Fizemos mais alguns contatos até o dia 25 de maio, quando foi a última vez que o Cruzeiro oficialmente tentou repatriá-lo no meio do ano. Ele foi bem enfático em falar que tinha sim o desejo de retornar ao Brasil, ao Cruzeiro, mas que, naquele momento, ele não faria a rescisão com o Fener em respeito a todos os anos dele no Fenerbahçe”.

“No dia 14 de agosto, recebi um contato do Alex, dizendo que estava repensando a situação dele, a vida dele na Europa, ainda sem ter conversado nada com o Fener, que tinha conversado apenas com a família dele, de uma possível vinda para o Brasil em janeiro. Como o Cruzeiro tinha saído na frente, já tinha insistido em trazê-lo, ele queria escutar o Cruzeiro. No dia 21 de setembro o Cruzeiro fez a primeira proposta oficial, o Alex ainda estava preso ao Fener, e, no dia seguinte, o Alex respondeu que não aceitaria, pois ainda tinha contrato com o Fener, com valores muito maiores. Fez uma contraproposta ao Cruzeiro no dia 2 de outubro. O Cruzeiro fez uma proposta oficial dentro de valores que o Alex achava interessante para um retorno ao Brasil. Obviamente que nós não assinamos nada, até porque ele ainda pertencia ao Fenerbahçe, deixou claro em toda a situação que tinha que conversar com o clube e com a família, que era um desejo dele voltar em janeiro, mas que, dentro do que ele pensava em termos de futebol brasileiro, de mercado, dos valores que ele gostaria, a situação com o Cruzeiro, em questão de valores, estava bem definida. O Presidente fez uma força tarefa e conseguimos um investidor para chegarmos naqueles valores”.

“No sábado o Alex chegou ao Brasil, por volta de 12h30, recebi uma mensagem dele, dizendo que estava em Curitiba e querendo saber como a gente poderia proceder. Marquei para o dia de hoje (segunda-feira), eu estaria em Curitiba, passagem marcada e tudo, o Alex concordou com tudo, já estávamos marcados. E ontem, por volta de 21h30 ou 22h, recebi uma ligação do próprio Alex, dizendo que conversou muito com a família e que, de forma irreversível, não viria para Belo Horizonte e, consequentemente, para o Cruzeiro, que tem outros planos para com a família, questões particulares. Queria deixar claro que não é questão financeira, não é questão de projeto. Tentei demovê-lo da ideia, mas ele foi enfático e colocou um ponto final, falou que já está com a cabeça em uma outra situação. E a primeira premissa para você contratar um jogador, seja ele qual for, é ele querer vir para o Cruzeiro. Neste caso, o Alex deixou claro que, neste momento, é um desejo dele voltar a jogar no Brasil, não sei para onde ele vai, o que ele vai fazer, mas que, para o Cruzeiro, neste momento, após a conversa que teve com a família, ele não teria o desejo de retornar. Fica aqui, em nome do Cruzeiro, todo o agradecimento ao Alex, que colocou com muito carinho as manifestações que a Torcida fez, o interesse da Diretoria, que sempre tentou fazer o máximo para trazê-lo, inclusive nós nem discutimos o que ele colocou naquele momento, o Cruzeiro se propôs a fazer o investimento, pois nós gostaríamos muito de tê-lo aqui. Mas, é um desejo, que a gente tem que respeitar. A questão da família está em primeiro lugar, ele deixou claro, por alguns motivos que só ele pode explicar, que não gostaria de, neste momento, se transferir para Belo Horizonte com a sua família. Ficam aqui as portas abertas para o Alex, sempre, pois é um ídolo, uma pessoa de bem, uma pessoa muito querida por todos os Cruzeirenses, por tudo o que ele fez. Fica aqui o agradecimento de todos”.

(Este material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).

Shop Cruzeiro

Camiseta Cruzeiro Réplica 1987

Por R$89,90 ou
3x de R$ 29,97

 

Shop Cruzeiro

Jaquetas do Cruzeiro

A partir de R$139,90
ou 5x de R$27,98

 

Shop Cruzeiro

Linha College Cruzeiro

Por R$59,90
2x de R$29,95