menu

13/03/2018 19:36

Com teste realizado no profissional, atletas da base passam por exames médicos

Com teste realizado no profissional, atletas da base passam por exames médicos


Lateral Alex Jhone elogiou inclusão de teste realizado no profissional na preparação do time sub-20 (fotos: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Gustavo Aleixo

A base cruzeirense já está na sua segunda semana de pré-temporada e, nesta terça-feira, as promessas celestes passaram por um check-up detalhado. Dando prosseguimento à preparação para as competições ao longo do ano, os jogadores realizaram o exame de ecocardiograma e o teste ergométrico na Toca da Raposa I.

Os atletas da categoria sub-20, porém, receberam um cuidado ainda mais especial. Assim como no futebol profissional, os jogadores passaram pelo teste da ergoespirometria, evidenciando a aproximação dos mecanismos e processos realizados nas Tocas I e II.

“Realizamos este exame também pensando na transição dos atletas do sub-20 para o profissional, já que, na Toca da Raposa II, a gente faz estes exames há três anos”, ressaltou o médico Leonardo Fantini.

De acordo com Fantini, o teste da ergoespirometria terá efeito extremamente positivo nos trabalhos realizados pela categoria sub-20. Conforme explica o médico, o novo expediente utilizado na base garante uma avaliação mais detalhada dos atletas.

“Além do ecocardiograma, em que avaliamos a função cardíaca, estrutura e anatomia, a gente também está adicionando o teste da ergoespirometria ou teste de esforço cardiopulmonar. É o teste ergométrico comum, em que a gente avalia também os gases expirados pelos atletas, nos garantindo um exame muito mais detalhado”, comentou.

“Assim, conseguimos avaliar a função pulmonar, cardíaca e metabólica, fornecendo dados detalhados e precisos para a preparação física e fisiologia referentes tanto à condição física. Desta maneira, fornecemos uma zona de treinamento para nossos profissionais trabalharem, através dos números de frequência cardíaca e velocidade de esteira”, completou.

Lateral direito do time sub-20, Alex Jhone elogiou bastante a iniciativa de incluir um dos métodos do futebol profissional na preparação da equipe júnior. De maneira geral, o jogador entende que estes tipos de exames têm relevância para a sequência da temporada.

“Num primeiro momento, é gente faz um trote normal e, com o passar dos minutos, a gente vai percebendo que a velocidade vai aumentando e começa a cansar, a perder um pouco da força. Mas é um processo normal e é tranquilo. Estes exames são muito bons para a preparação física. Quando você está no jogo, o que você sente na corrida durante o exame é a o que sente nos jogos. É algo que nos prepara para o ano”, destacou.

“Achei muito legal realizamos o mesmo exame que é feito no profissional. É sempre bom quando coisas de lá vem para a base, já que almejamos chegar ao time de cima”, concluiu.