menu

28/02/2012 20:50

Carazo e Montillo, os maiores artilheiros estrangeiros do Cruzeiro

Carazo e Montillo, os maiores artilheiros estrangeiros do Cruzeiro

Arquivo Pessoal

Da Toca II

Cláudio Antonio

Ídolos do torcedor de suas gerações, o espanhol Fernando Carazo (o terceiro à direita na foto, após Piorra e Ninão) e o argentino Walter Montillo são os maiores artilheiros estrangeiros da gloriosa história de 91 anos do Cruzeiro Esporte Clube. Carazo, sempre jogando com a camisa verde, vermelha e branca do Palestra Itália, disputou 113 jogos e marcou 44 gols. Já Montillo, com o uniforme azul e branco do Cruzeiro, fez 81 partidas e 30 gols.

As famílias dos dois ídolos cinco estrelas serão homenageadas pela diretoria do Cruzeiro antes do jogo contra o América-TO, no próximo sábado, às 16h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, válido pela quinta rodada do Campeonato Mineiro. 

Nascido em La Coruña, Espanha, em 06 de abril de 1904, Fernando Carazo Castro veio para o Brasil em 1907, com três anos de idade. O filho do jogador, Edmundo Carazo Castro, de 76 anos, que mora em Belo Horizonte, conta que, de acordo com dados obtidos no Memorial do Imigrante, em São Paulo, Fernando Carazo Castro desembarcou no Brasil em 23 de março de 1907, no Porto de Santos, vindo de Málaga, na Espanha, juntamente com o pai, a mãe e três irmãos. A família, toda espanhola, veio trabalhar no Brasil.

Carazo iniciou sua carreira no Tapira, clube amador de São Paulo. Teve passagens por outros times de pequeno porte, como Antarctica e Linhagens, ambos também de São Paulo, antes de jogar pelo Palmeiras, em 1927. Um ano depois, se transferiu para o Cruzeiro, ainda denominado Palestra Itália, onde ficou até 1933, na sua primeira passagem pelo clube mineiro. As outras duas vezes em que defendeu o Palestra foi de 1936 a 1937 e de 1940 e 1942.

O ídolo mineiro se despediu definitivamente do Palestra Itália em 8 de fevereiro de 1942, na derrota por 4 x 1 para o América-MG, no estádio de Lourdes, pelo Campeonato da Cidade de 1941, um ano antes de o clube mineiro estrear seu novo uniforme, azul e branco, e passar a ser chamado de Cruzeiro Esporte Clube. O maior clube de futebol mineiro mudou o nome por causa de um decreto de lei do governo federal de 31 de agosto de 1942, que proibiu o uso de termos que remetem aos países inimigos do Brasil na 2ª Guerra Mundial em entidades, instituições e estabelecimentos no nosso país.

O jogador espanhol, que não adquiriu a cidadania brasileira, como afirma o filho dele, foi um dos ídolos do início da história do time mineiro e participou das primeiras conquistas do clube de origem italiana, como o tricampeonato estadual, de 1928, 1929 e 1930, com uma equipe que contava também com os lendários Ninão, Nininho, Bengala e Piorra. Carazo voltou a conquistar o título mineiro pelo Cruzeiro em 1940.

Edmundo Carazo conta ainda que o pai dele, juntamente com os colegas de clube Bengala e Piorra, exerciam, juntamente ao futebol, a profissão de carpinteiro.

“Quando era jogador, meu pai ia a pé do bairro Floresta, onde ficava a carpintaria dele, até o Barro Preto, para treinar pelo Palestra. Trabalhava como carpinteiro também no Colégio Estadual Central, no bairro de Lourdes. Ele exerceu a profissão até os 80 anos de idade, dois anos antes de falecer”, comentou.

Montillo

Contratado em julho de 2010 ao Universidad de Chile, Montillo caiu rapidamente nas graças do torcedor cinco estrelas. Suas excelentes atuações pelo clube de Belo Horizonte o credenciaram como um dos principais jogadores do futebol brasileiro na atualidade, o que lhe valeu a convocação pela primeira vez para a seleção Argentina.

Natural de Lanús, onde nasceu em 14 de abril de 1984, Montillo começou sua carreira no San Lorenzo. Jogou pela equipe argentina de 2002 a 2006, antes de se transferir para o Monarcas Morelia, time mexicano que defendeu até 2007, ano em que retornou ao San Lorenzo.  Foi campeão da Copa Sul-Americana em 2002, pela equipe argentina.

Em 2008, Montillo foi contratado pelo Universidad de Chile e jogou pelo clube da cidade de Santiago até 2010, quando passou a ser jogador do Cruzeiro. Pelo Universidade de Chile, o atleta foi campeão do Torneio Apertura, em 2009. A estreia dele no time cinco estrelas foi em 15 de agosto de 2010, no empate em 2 x 2 com o São Paulo, no Morumbi, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro.


Confira a ficha dos ídolos cruzeirenses

CARAZO
Nome completo
: Fernando Carazo Castro
Posição: meia
Nascimento: 06/04/1904 (La Coruña, Espanha)
Carreira no Cruzeiro: 1927 a 1931; 1936 a 1937; 1940 a 1942
Números no Cruzeiro: 113 jogos; 44 gols
Clubes: Tapira-SP; Antarctica-SP; Linhagens-SP; Palmeiras (1927; 1933 a 1936); Cruzeiro (1927 a 1931; 1936 a 1937; 1940 a 1942); Araxá (1929); Villa Nova (1932; 1937); Espanha de Santos-SP (1936); Araguari (1936); Aeroporto-BH (1942); Metalusina (1943)
Estreia no Cruzeiro: Cruzeiro 4 x 1 América-MG, em 21/04/1928, pela Taça Independência do Brasil, no estádio do Barro Preto, em Belo Horizonte
Seleção de BH: 1929; 1931
Seleção Mineira: 1931; 1936; 1939
Principais títulos pelo Cruzeiro: Campeonato Mineiro 1928, 1929, 1930 e 1940
Títulos por outros clubes: Campeonato Mineiro 1932 (Villa Nova); Campeonato Paulista 1934 (Palmeiras)
Carreira como técnico: Araguari (1936); Metalusina (1942); Villa Nova (1948 e 1950)


MONTILLO
Nome completo
: Walter Damián Montillo
Posição: meia
Nascimento: 14/04/1984 (Lanús, Argentina)
Altura: 1.71 m
Peso: 70 kg
Números no Cruzeiro: 81 jogos; 30 gols
Clubes: San Lorenzo-ARG (2002 a 2006); Monarcas Morelia-MEX (2006 a 2007); San Lorenzo-ARG (2007); Universidad de Chile (2008 a 2010); Cruzeiro (desde 07/2010)
Estreia no Cruzeiro: São Paulo 2 x 2 Cruzeiro, em 15/08/2010, pelo Campeonato Brasileiro, no estádio Morumbi, em São Paulo
Título pelo Cruzeiro: Campeonato Mineiro 2011
Títulos por outros clubes: Copa Sul-Americana de 2002 (San Lorenzo-ARG); Torneio Apertura do Chile 2009 (Universidad de Chile);

(Este material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).