menu

15/10/2018 18:52

Mano fala sobre as chances de Arrascaeta na final e do resultado pelo Brasileirão

- Angel Drumond

Foto: Vinnicius Silva / Cruzeiro

Depois da partida contra o Vasco, válida pelo Campeonato Brasileiro, o técnico Mano Menezes falou com os jornalistas presentes em São Januário. A pauta em questão era a finalíssima da Copa do Brasil, na quarta-feira, contra o Corinthians pela Copa do Brasil.

 A pergunta principal ao treinador celeste era o aproveitamento do jogador uruguaio De Arrascaeta, que joga pela seleção uruguaia um dia antes com o Japão em amistoso e tem chances de integrar os convocados da Raposa para a grande final, na Arena Corinthians, na quarta-feira.

“Ele vai ficar no banco, certamente. Se ele tiver inteiro, cansado, com uma perna só, ele vai ficar no banco. É o momento de sacrifício de todo mundo e de reforçar a confiança que temos nele. Os grandes jogadores, esses momentos, são feitos para ele. Eles são os protagonistas. Se puder vir antes, melhor, mas a gente está preparado para deixá-lo no banco para uma necessidade ou até para brindar tudo aquilo que ele ajudou a construir nessa Copa do Brasil”, declarou Mano.

Sobre o resultado em São Januário, Mano comentou sobre a dificuldade de se jogar uma partida por uma competição diferente da qual o time vai disputar o título nesta semana. O treinador entende que o Clube não fez um mal jogo e perdeu grandes oportunidades de construir o resultado positivo fora de casa.  

“Esses jogos como o de hoje, na verdade, não eram para existir. É muito duro ter que jogar numa situação como essa, repartir o grupo, o que é pior ainda, ter que trabalhar separado porque é necessário ser assim. Acho que não fizemos um mal jogo, não era um jogo para perder. O Vasco foi ter oportunidades depois que abriu o placar e quando ficamos com 10 novamente”, avaliou o treinador.

“Penso que pelas oportunidades que poderiam ter sido construídas no último passe, no último toque, poderíamos ter feito um ou dois gols em jogadas de Mancuello e David. Tem que aproveitar essas oportunidades, porque elas não vão surgir sempre com o time mexido. Deixamos escapar exatamente por isso, mas está dentro desse pacote todo, ter que trocar peças, estrear jogadores, utilizar jogadores do sub-20 que jogaram ontem. Isso tudo faz com que as coisas não funcionem bem, como gostaríamos”, complementou.

Notícias Relacionadas