menu

18/07/2019 02:17

Mano Menezes destaca entrega e experiência da equipe em mais uma classificação para a semifinal da Copa do Brasil

- Alisson Guimarães

Foto: Vinnicius Silva / Cruzeiro

Mais uma vez, o técnico Mano Menezes conduziu o Cruzeiro para a fase semifinal da Copa do Brasil. Ao eliminar o Atlético-MG, o treinador celeste emendou sua quarta classificação seguida com a Raposa nesta fase do torneio, mantendo vivo o sonho do inédito heptacampeonato.

O treinador cinco estrelas reconheceu que o Cruzeiro jogou abaixo do que pode, mas destacou a luta, a entrega e a inteligência de sua equipe para garantir mais uma classificação em mata-mata.

“Saímos com a classificação. Uma classificação difícil de ser conquistada. Penso que iniciamos a construí-la de forma bem concreta na quinta-feira passada, quando surpreendemos o adversário e fizemos uma vantagem inesperada de 3 a 0. Mas, mesmo assim, eu tinha certeza absoluta que aqui seria uma classificação difícil de se conquistar. Sabíamos que o Atlético iria nos pressionar. Não conseguimos repetir uma qualidade de jogo para aproveitar os espaços na frente, mas tínhamos uma ausência importante do Thiago, que tentamos colocar no jogo até o último momento. Mas, pelo sintoma apresentado no aquecimento, da mesma forma que o Ariel, não conseguimos fazer. Tivemos que optar por Fred, que muda nossa característica de jogo. A entrada dele era para que segurássemos a bola na frente e desse tempo para chegarmos. Depois, cedemos muito jogo para o Atlético”, avaliou o treinador, que continuou a explanar sua leitura de jogo.

“No segundo tempo ajustamos algumas coisas. A equipe suportou bem a pressão. Classificou pela experiência que tem, pela frequência de vezes em que está chegando a uma situação como essa e isso faz a diferença nesta hora. Por isso que esse grupo, sob meu comando, consegue a façanha de chegar pela quarta vez seguida a uma semifinal. É de superação, de momentos como esses que vive um clube e um grupo como esse. Por isso que chegamos”, destacou.

Mano citou o fato da maioria dos atletas terem atuado no último domingo, contra o Botafogo, pelo Brasileirão, como um dos fatores para que a Raposa fizesse um jogo com um rendimento abaixo do que pode.

“Acho que ficamos aquém do que podíamos fazer. Mas tenho que reconhecer que nós não estávamos no mesmo estágio de recuperação que o nosso adversário. Porque o Atlético pode, pela situação que está no Campeonato Brasileiro, tirar todo o grupo que jogou com a gente na quinta-feira e não levar a Chapecó [para o jogo contra a Chapecoense]. E o Cruzeiro, por ter iniciado mal o Brasileiro, não pode ficar mais sem pontuar. Nós tentamos fazer os três pontos contra o Botafogo, acabou desgastando os jogadores, e isso fez uma diferença. O Atlético estava mais vivo, mais inteiro. Mas, são escolhas, temos que fazer, deu certo. Passamos mais uma vez. Houve uma entrega muito grande dos jogadores, a experiência e qualidade de se defender melhor”, enfatizou Mano.

O treinador cruzeirense também comentou o raro fato de classificar a equipe para uma quarta semifinal seguida, que será disputada contra o Internacional no mês de agosto.

“Acho muito difícil classificar duas vezes, até uma. Cada vez vai ficando mais difícil. Todo mundo quer chegar. O objetivo do Atlético era o mesmo nosso. Então, saímos fortalecidos exatamente por isso, por termos passando por um rival local, por chegar de novo”, salientou Mano.

Notícias Relacionadas