menu

18/12/2020 09:10

Departamento psicossociopedagógico realiza dia de integração para atletas da base

- Rodolfo Rodrigues

Foto: Rodolfo Rodrigues/Cruzeiro

Para encerrar as atividades do ano, profissionais do departamento de serviço social, pedagogia e psicologia do Cruzeiro se uniram a membros das comissões técnicas para proporcionar aos atletas um dia diferente.

Para fugir da rotina dos treinamentos pesados, jovens das categorias menores do Cruzeiro participaram na última quarta-feira de um dia de recreação. A atividade aconteceu no Centro de Formação Felício Brandi, Toca da Raposa 1, e contou com campeonato de futmesa, corrida de saco, queimada, peteca, rouba bandeira, dentre outras atividades.

Segundo a assistente social Heloisa Verçosa, este é um momento importante de participar de atividades mais descontraídas, sem a pressão dos treinamentos do dia a dia.

“Eu nem chamaria esse momento de confraternização e sim de integração. Neste dia nós quebramos com essa ideia de categorias e criamos equipes misturando todas as categorias aleatoriamente. Realizamos brincadeiras totalmente desconhecidas para alguns deles. Eles se divertiram muito e entenderam que precisavam se unir para conquistar a vitória”, disse.

“Na parte da manhã tivemos atividades esportivas, já o período da tarde foi de atividades cognitivas. Pegamos instrumentos musicais para eles tocarem e cantarem. Depois fizemos perguntas sobre conhecimentos gerais, conhecimentos sobre o clube e o manual de conduta. Ainda teve um lanche especial”, completou.

Neste momento de pandemia, a diretoria de base do Cruzeiro segue todos os protocolos de segurança, para que as chances de contaminação do coronavírus sejam minimizadas. Nas atividades de recreação os cuidados não foram diferentes. Os atletas precisavam usar máscara e higienizar as mãos com álcool em gel.

“Tudo foi feito levando em conta o protocolo de proteção da Covid-19. Se no momento não podemos levar os garotos para se divertirem fora do Clube, nós proporcionamos esse momento de diversão aqui dentro, seguindo todas as normas de segurança”, ressaltou Heloísa.

Para finalizar, a assistente social destacou que as atividades elaboradas por uma equipe multidisciplinar foram feitas pensando no futebol.

“Foi um momento de aprendizado para os atletas. Na brincadeira de rouba bandeira, eles precisam montar estratégias o tempo todo. Eles viram que são situações semelhantes ao que eles precisam fazer em campo. Na queimada, é preciso sair da marcação. Tudo que a gente trouxe foi pensado no futebol, mas usando atividades lúdicas”, concluiu. 

Atletas disputaram campeonato de futmesa - Foto: Rodolfo Rodrigues/Cruzeiro

Notícias Relacionadas