menu

22/01/2013 16:53

Tricampeonato mineiro de 1967 completa 45 anos nesta segunda-feira

Tricampeonato mineiro de 1967 completa 45 anos nesta segunda-feira


Procópio (Cruzeiro/Divulgação)

Da Sede Administrativa

Cláudio Antonio

Exatamente 45 anos atrás, em 21 de janeiro de 1968, o Cruzeiro conquistou o título mineiro de 1967, assegurando pela quarta vez o tricampeonato estadual e dando sequência à sua maior hegemonia em Minas Gerais, o pentacampeonato mineiro, com os títulos seguintes de 1968 e 1969.

Campeão em 1965 e 1966, o time celeste decidiu o título de 1967 contra o Atlético-MG somente no início de 1968, em uma final melhor de três partidas. Mas a equipe do técnico Orlando Fantoni não deu a mínima chance para o adversário e levantou o troféu ao vencer os dois primeiros jogos, eliminando a disputa do terceiro confronto.

O Cruzeiro ganhou a primeira partida por 3 x 1 e a segunda por 3 x 0, dando mais um verdadeiro show de bola no adversário. Natal, duas vezes, e Vander, contra, marcaram os gols da Raposa na primeira partida. No segundo jogo, que decretou o título, os gols foram anotados por Tostão, Dirceu Lopes e Evaldo.


Evaldo (Cruzeiro/Divulgação)

O ex-atacante celeste Evaldo recorda com muito orgulho do título de 1967, mas ressalta que o jogo mais importante daquela conquista foi o empate em 3 x 3 com o Atlético-MG, na reta final da primeira fase da competição.

“O Atlético-MG estava ganhando por 3 x 0 e seria campeão com a vitória, pois tinha cinco pontos a mais que a gente. Tudo estava encaminhando para o título deles, mas o Cruzeiro, mesmo com dez em campo, por causa da expulsão do Procópio, e ainda não tinha o Tostão, que saiu machucado no início do jogo, conseguiu empatar e quase virou, com o Zé Carlos, que bateu uma falta na trave”, disse ele.

“Depois disso, nós vencemos nossas partidas restantes e o Atlético-MG, sempre jogando no Mineirão, acabou perdendo cinco pontos nos jogos deles e os dois times igualaram em pontos. Tiveram que marcar a final para um confronto extra, de três jogos, no ano seguinte. O Atlético-MG entrou na decisão sem moral e a gente completamente ao contrário. E deu no que deu, ganhamos os dois jogos e conquistamos o tricampeonato”, completou.


Veja a campanha do título mineiro de 1967

Cruzeiro 1 x 3 Usipa – gol: Wilson Almeida
Cruzeiro 6 x 2 Valerio – gols: Natal 2, Dirceu Lopes, Tostão 2 e Evaldo
Cruzeiro 5 x 0 Democrata-SL – gols: Tostão 3 e Evaldo 2
Cruzeiro 3 x 1 Formiga – gols: Tostão 2 e Dirceu Lopes
Cruzeiro 3 x 1 Uberlândia – gols: Davi 2 e Dirceu Lopes
Cruzeiro 0 x 0 Uberaba
Cruzeiro 5 x 1 Villa Nova – gols: Tostão 2, Natal 2 e Evaldo
Cruzeiro 4 x 0 Araxá – gols: Evaldo 2, Natal e Tostão
Cruzeiro 0 x 0 Nacional, de Uberaba
Cruzeiro 1 x 2 América-MG – gol: Dirceu Lopes
Cruzeiro 0 x 0 Atlético-MG
Cruzeiro 2 x 0 Uberlândia – gols: Tostão 2
Cruzeiro 4 x 0 Uberaba – gols: Tostão 2, Evaldo e Dirceu Lopes
Cruzeiro 2 x 1 Villa Nova – gols: Evaldo e Pedro Paulo
Cruzeiro 4 x 2 Valerio – gols: Evaldo 2 e Natal 2
Cruzeiro 4 x 0 Democrata-SL – gols: Tostão 2, Evaldo e Natal
Cruzeiro 7 x 1 Araxá – gols: Dirceu Lopes, Procópio 3 e Evaldo 3
Cruzeiro 0 x 0 América-MG
Cruzeiro 6 x 1 Usipa – gols: Tostão 2, Piazza 2, Zé Carlos e Evaldo
Cruzeiro 3 x 3 Atlético-MG – gols: Natal 2 e Piazza
Cruzeiro 2 x 0 Formiga – gols: Dirceu Lopes e Evaldo
Cruzeiro 4 x 1 Nacional, de Uberaba – gols: Zé Carlos 2, Natal e Tostão
Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG – gols: Natal 2 e Vander (contra)
Cruzeiro 3 x 0 Atlético-MG – gols: Tostão, Dirceu Lopes e Evaldo


Confira a ficha técnica do jogo decisivo

CRUZEIRO 3 x 0 ATLÉTICO-MG
Motivo: 2ª partida da decisão do Campeonato Mineiro de 1967
Data: 21/01/68
Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Público: 79.981
Renda: NCr$ 236.996,00
Árbitro: Armando Marques
Gols: Tostão, aos 41 min., e Dirceu Lopes, aos 45 min. do 1º tempo; Evaldo, aos 22 min. do 2º tempo
CRUZEIRO
Raul, Pedro Paulo, Vicente, Procópio, Neco, Zé Carlos, Dirceu Lopes, Natal, Evaldo, Tostão, Hilton Oliveira
Técnico: Orlando Fantoni
ATLÉTICO-MG
Hélio, Canindé, Vander, Grapete, Décio Teixeira, Wanderley, Amauri, Buião, Ronaldo, Lacy (Beto), Tião
Técnico: Fleitas Solich

(Este material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeiro como a fonte da informação).