menu

19/09/2020 13:41

Olhar técnico e mescla com experientes ajudam jovens atletas a se tornarem peças importantes na luta pela volta à Série A

- Lucas Leite

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Dono de um livro repleto de páginas heroicas imortais, o Cruzeiro vive em 2020 um dos anos mais importantes de sua história quase centenária. Graças ao apoio de sua apaixonada Nação Azul e à expertise de profissionais que hoje atuam nos bastidores da Raposa, um Novo Cruzeiro tem sido construído e chamado a atenção daqueles que imaginavam que o Clube Celeste não voltaria a ser destaque no cenário esportivo. 

No futebol profissional, carro-chefe do Cruzeiro, a equipe que leva as cinco estrelas aos quatro cantos do Brasil foi montada com base no potencial dos jogadores e no bom trabalho desenvolvido pela comissão técnica cruzeirense. Atletas que aceitaram o desafio de reerguer o time de maior tradição de Minas Gerais, implantando uma mescla de ousadia e experiência dentro das quatro linhas. 

Nesse projeto de construção de um Novo Cruzeiro, a torcida estrelada tem observado o foco da Raposa em contar com jovens jogadores para o elenco. Atletas que foram contratados ao longo dos últimos meses, como o atacante Airton, de 21 anos, o meia Claudinho, de 19, e o lateral direito Rafael Luiz, de 18, chegaram para somar às revelações oriundas das categorias de base, como Cacá, Jadsom, Matheus Pereira, Maurício, Stênio, Thiago, entre outros. 

Maior objetivo do Cruzeiro na temporada, o caminho rumo ao Campeonato Brasileiro da primeira divisão de 2021 está sendo trilhado com a sintonia entre os experientes e os mais “novos de casa”. Nos nove compromissos do Time Azul e Branco na Série B neste ano, foram utilizados 28 atletas diferentes, sendo 12 jogadores com idade igual ou abaixo dos 21 anos, o que representa cerca de 43%. 

No atual elenco cruzeirense, o técnico Ney Franco tem à sua disposição 17 guerreiros estrelados com 21 anos ou menos. Desses, apenas cinco ainda não tiveram oportunidade de estrear com o manto da Raposa no Campeonato Brasileiro. São os casos dos goleiros Vinícius e Vitor Eudes, que aguardam a “deixa” do titular absoluto Fábio, do meia Marco Antônio, do zagueiro Paulo, e do atacante Vinícius Popó. 

Entre os mais jovens, Cacá e Maurício participaram de todos os jogos do Cruzeiro pelo torneio nacional até este sábado, 19 de setembro, com nove partidas cada, sendo o zagueiro o atleta com maior minutagem em campo, com 789 minutos. 

No triunfo diante do Vitória, na rodada passada, o time celeste contou com a participação de sete jogadores com idade abaixo dos 21 anos ao longo dos 90 minutos, entre titulares e substituições. Estiveram em campo Airton, Cacá, Jadsom, Matheus Pereira e Maurício, como titulares, e ainda Rafael Luiz e Thiago, que entraram no decorrer da partida. 

Atual técnico do Cruzeiro, Ney Franco também possui ampla experiência no trabalho com divisões de base. Conhecedor do meio, o treinador sabe o potencial dos garotos e acredita que o bom futebol não é sinônimo de investimento elevado. 

“Esses jogadores estão entrando e correspondendo à altura. Não fugiram da responsabilidade e estão contribuindo neste momento que o Clube mais precisa. São atletas que tiveram uma boa formação na base, que estão juntos a outros jogadores que chegaram e que também estão mostrando uma personalidade enorme. Todos estão motivados, aproveitando a oportunidade de vestir essa camisa pesada”, expôs. 

“Tendo uma estrutura como o Cruzeiro tem e essa integração entre os profissionais da base e do profissional, é possível sim montar uma equipe com uma média de idade mais baixa. Não podemos achar que times fortes só são feitos com atletas “medalhões” ou que carregam nome”, concluiu. 

Cacá é o atleta sub-21 com maior minutagem - Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Maurício é o segundo no ranking - Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

A chegada de jovens atletas ao time profissional do Cruzeiro, sejam eles promovidos das categorias de base ou contratados de outros clubes, só acontece com o apoio do setor de Análise de Mercado. Um dos responsáveis diretos pela área na Toca da Raposa 2 é Antônio Almeida, que detalhou como é a atuação do departamento e como são sugeridos nomes de jogadores à diretoria de futebol celeste. 

“A nossa observação geralmente é feita com base em três pilares, começando com uma filtragem de possíveis alvos, que são jogadores de todo o mundo. A partir dos selecionados, iniciamos a segunda fase, em que acompanhamos mais fortemente, inserimos em nosso banco de dados e produzimos relatórios para a diretoria e comissão técnica. Por fim, na terceira etapa, fazemos a análise in loco, em que observamos aspectos táticos e técnicos, além dos comportamentos do atleta durante a partida”, discorreu. 

Antônio Almeida contou, por exemplo, como foi feita a avaliação de Claudinho, confirmado como reforço do Cruzeiro no mês de julho. De acordo com o profissional, o meia azul e branco esteve no radar da Raposa por vários dias antes de ter sua contratação confirmada. 

“As análises de mercado podem acontecer tendo como base algum atleta em específico ou a observação de todos os jogadores participantes em um campeonato selecionado anteriormente. Neste ano ficamos por 15 dias acompanhando jogadores in loco no Campeonato Paulista. Podemos dizer que, por exemplo, o Claudinho veio para o Cruzeiro a partir desta observação”, considerou.


Diretor Técnico de Futebol do Cruzeiro, Deivid enalteceu o papel do setor de Análise de Desempenho e chamou a atenção para o fato de o Clube Celeste sempre revelar grandes nomes para o futebol mundial. 

Nossa estratégia é identificar jovens atletas com potencial para agregar ao Cruzeiro um retorno técnico e também financeiro. Para isso, estamos fazendo um trabalho minucioso de acompanhamento dos principais campeonatos do Brasil e do continente. Mantemos diálogos com a comissão técnica sobre as possibilidades de mercado e, caso o negócio seja viável para o Clube e tenhamos convicção de que se trata de uma boa oportunidade, efetuamos a contratação”, disse. 

“A própria história do Cruzeiro tem referências positivas de jovens atletas contratados e que vieram a ser importantíssimos em grandes conquistas e se tornaram significativas vendas. Por exemplo, no time campeão da Tríplice Coroa, faziam parte jogadores com este perfil, como Luisão, Maicon, Edu Dracena, Martinez, entre outros. Então, esse olhar do Clube no mercado é estratégico e também condizente com a história do Cruzeiro”, complementou. 


Quem também acompanha de perto a ascensão dos meninos é o Diretor de Futebol Ricardo Drubscky. Ele rasgou elogios ao bom trabalho desenvolvido nas divisões de base do Time Cinco Estrelas e salientou a importância dos atletas experientes neste momento do Cruzeiro. 

“O Cruzeiro tem usado suas dificuldades como momentos de oportunidade. Sou testemunha de que o Cruzeiro sempre teve uma categoria de base muito boa. Trouxemos muitos atletas da Toca da Raposa 1 e temos ido ao mercado para buscar jogadores “semi-prontos”, que estão em fase final de formação. Aliado a tudo isso, temos o Ney Franco, que é especialista no trabalho com jovens e contamos ainda com atletas experientes, fundamentais nesses processos de inserção e evolução dos jogadores com menos rodagem no futebol”, citou. 

E é com a ajuda dos jovens talentos, com o apoio dos jogadores experientes, que o Cruzeiro voltará à campo neste sábado, às 21h, contra o CSA, em mais um desafio pela Série B do Campeonato Brasileiro. 


Jovem Matheus Pereira tem agradado na lateral esquerda celeste. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro 

Notícias Relacionadas